Alfabetização

Alfabetização

 

Fases da Alfabetização

 

No processo de aquisição da leitura e escrita, a criança passa por quatro fases ou níveis:

Fase Pré-Silábica

A fase pré-silábica é dividida em três níveis ou momentos:

 

1- Pictórica

 

A criança registra garatujas, desenhos sem figuração e, mais tarde, desenhos com figuração. Normalmente, a criança que vive em um ambiente urbano, com estimulação linguística e disponibilidade de material gráfico (papel e lápis) começa a rabiscar e experimentar símbolos muito cedo (por volta dos dois anos). Muitas vezes, ela já usa a linearidade, mostrando uma consciência sobre as características da escrita.

Exemplo:

 

 (FLOR) desenho

2- Grafismo Primitivo

 

A criança registra símbolos e pseudo-letras, misturadas com letras e números. Já demonstra linearidade e utiliza o que conhece do meio ambiente para escrever (bolinhas, riscos, pedaços de letras). Nesse momento, há um questionamento sobre os sinais escritos. Ela pergunta muito ao adulto sobre a representação que vê em sua comunidade.

Exemplo:

 

NO21 (carro)

RV6N (árvore)

 

3- Pré-Silábica Propriamente Dita

 

Nessa fase, a criança começa a distinguir letras de números, desenhos ou símbolos e reconhece o papel das letras na escrita. Percebe que as letras servem para escrever, mas não sabe como isso ocorre.

Exemplo:
TRAQ (casa)
AIVNOAXE (abacaxi)

 

CARACTERÍSTICAS:

 

- Escrever e desenhar têm o mesmo significado;

- Não relaciona a escrita com a fala;

- Não diferencia letras de números;

- Reproduz traços típicos da escrita de forma desordenada;

- Supõe que a palavra representa o objeto e não o seu nome;

- Acredita que coisas grandes têm um nome grande e coisas pequena têm um nome pequeno (realismo nominal);
- Usa as letras do nome para escrever tudo;

- Não aceita que seja possível escrever e ler com menos de três letras;

- Leitura global: lê a palavra como um todo.

 

CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA:

 

- Que sinais-eu uso para escrever palavras?

- Conhecer o significado dos sinais escritos.

 

AVANÇOS:

 

- Diferenciar o desenho da escrita;

- Perceber as letras e seus sons;

- Identificar e escrever o próprio nome;

- Identificar o nome dos colegas;

- Perceber que usamos letras diferentes em diferentes posições.

 

Fase Silábica

 

Quando a criança chega ao nível silábico, sente-se confiante porque descobre que pode escrever com lógica. Ela conta os “pedaços sonoros”, isto é, as sílabas, e coloca um símbolo (letras) para cada pedaço (sílaba). Essa noção de que cada silaba corresponde a uma letra pode acontecer com ou sem valor sonoro convencional.

Exemplo:
AO (gato) ou  TF (gato)

 

CARACIERÍSTICAS:

 

- Para cada fonema, usa uma letra para representá-lo,

- Pode, ou não, atribuir valor sonoro à letra.

- Pode usar muitas letras para escrever e ao fazer a leitura, apontar uma letra para cada fonema.

- Ao escrever frases, pode usar uma letra para cada palavra.

 

CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA:

 

- A escrita está vincula à pronúncia das partes da palavra?

- Como ajustar a escrita à fala?

- Qual a quantidade mínima de letras necessárias para se escrever?

 

AVANÇOS:

 

- Atribuir valor sonoro às letras.

- Aceitar que não é preciso muitas letras para se escrever, apenas o necessário para representar a fala.

- Perceber que palavras diferentes são escritas com letras em ordens diferentes.

 

Fase Silábica Alfabética

 

Nesse nível, a criança está a um passo da escrita alfabética. Ao professor cabe o trabalho de refletir com ela sobre o sistema linguístico a partir da observação da escrita alfabética e da reconstrução do código.

É o momento em que o valor sonoro torna-se imperioso e a criança começa a acrescentar letras principalmente na primeira sílaba.

Exemplo:
TOAT (tomate)

 

 CARACTERÍSTICAS:

- Compreende que a escrita representa os sons da fala;

- Percebe a necessidade de mais de uma letra para a maioria das sílabas;

- Reconhece o som das letras;

- Pode dar ênfase a escrita do som só das vogais ou só das consoantes:

bola= ao ou bl;

- Atribui o valor do fonema em algumas letras: cabelo = kblo.

 

CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA:

 

- Como fazer a escrita dela ser lida por outras pessoas?

- Como separar as palavras na escrita se isto não acontece na fala?

- Como adequar a escrita à quantidade mínima de caracteres?

 

AVANÇOS:

 

- Usar mais de uma letra para representar o fonema quando necessário;

- Atribuir o valor sonoro das letras.

 

 

Fase Alfabética

 

Quando a criança reconstrói o sistema linguístico e compreende a sua organização, ela transpõe a porta do mundo e das coisas escritas, conseguindo ler e expressar graficamente o que pensa ou fala.

Nesse momento, a criança escreve foneticamente (faz a relação entre som e letra), mas não ortograficamente. O desafio agora é caminhar em direção à convencionalidade, em direção à correção ortográfica e gramatical.

Exemplo:
LATA
CARACTERÍSTICAS

- Compreende a função social da escrita: comunicação;

- Conhece o valor sonoro de todas ou quase todas as letras;

- Apresenta estabilidade na escrita das palavras;

- Compreende que cada letra corresponde aos menores valores sonoros da sílaba;

- Procura adequar a escrita à fala;

- Faz leitura com ou sem imagem;

- Inicia preocupação com as questões ortográficas;

- Separa as palavras quando escreve frases;

- Produz textos de forma convencional.

 

 

CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA:

 

- Por que escrevemos de uma forma e falamos de outra?

- Como distinguir letras, sílabas e frases?

- Como aprender as convenções da língua escrita?

 

AVANÇOS:

 

- Preocupação com as questões ortográficas e textuais (parágrafo e pontuação).

-Usar a letra cursiva.