Gêneros Textuais

Gêneros Textuais

Por todos os lugares que passamos, seja em casa, na escola, no trajeto que fazemos de um lugar a outro, no parque de diversões, no shopping, enfim, em muitos outros, deparamo-nos com uma diversidade de textos, não é verdade? No entanto, nem sempre temos a curiosidade de analisá-los, levando em consideração as características que os constituem.

Mas, por meio deste encontro, você vai descobrir a importância de compreender um pouco mais sobre tais textos. Para começar, você deve compreender alguns aspectos importantes, tais como:

Os textos se constituem de características distintas

• Em que contexto, ou seja, em que situação foi escrito, produzido, determinado texto?
• Para quem ele foi escrito, isto é, quem serão as pessoas mais interessadas em lê-lo?
• Quem o escreveu?
• Quais as intenções, os objetivos, que levaram o emissor (quem o escreveu) a produzi-lo?

Muitas serão as intenções de um texto, variados serão os interlocutores (as pessoas para quem é destinado um determinado tipo de texto), e ele poderá ter sido produzido em diversas situações.

Vamos analisar, portanto, as finalidades: uma reportagem é produzida no sentido de nos deixar informados sobre os acontecimentos da sociedade, do dia a dia; um manual de instruções, uma bula de remédio e uma receita culinária servem para nos orientar acerca de algo; um panfleto e um anúncio publicitário têm o propósito de nos chamar atenção para um determinado assunto, como é o caso das propagandas, dos outdoors, dentre outros exemplos.

Dessa forma, dependendo dos elementos analisados acima (quem escreve para quem escreve em que situação se produz quais as intenções determinadas pela mensagem), temos o conceito de gêneros textuais. Assim, para que você possa entender melhor sobre essa definição, observe:

Gêneros textuais são os conceitos que se aplicam aos diversos textos com características comuns em relação à linguagem e ao conteúdo propriamente dito.
Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

 

Função

Gêneros textuais para organização do trabalho pedagógico, para que os alunos possam ampliar os.

Conhecimentos sobre a organização textual, recursos linguísticos, apresentação gráfica e função social.

Estão elencados, no quadro a seguir, alguns gêneros textuais de diferentes esferas sociais para estudos.

Sistematizados ao longo dos anos iniciais. Isto não significa que esses mesmos gêneros não possam ser

Apreciados ou lidos em outros anos dos ciclos, já que, a cada nova interação com um certo gênero,

Surgem novas explorações e descobertas. Além disso, os gêneros que não foram elencados como objeto.

De estudo sistematizado também devem circular na escola para busca de informação, apreciação,

Comunicação, entretenimento entre outros propósitos sociais.

1º Ano Tradição Oral (cantiga, trava-língua, parlenda, adivinha).

Cotidiana (aviso, bilhete, convite, legenda de foto, lista).

Literária (poema, conto de fada, conto de assombramento, conto acumulativo).

 

2º Ano Cotidiana (lista, carta e textos instrucionais: receita, regra de jogo).

Divulgação científica (ficha técnica, verbetes: de curiosidade, de dicionário,

De enciclopédia infantil).

Literária (poema, fábula e contos: populares, de fada, de assombramento,).

 

3º Ano Jornalística (manchete, notícia).

Cotidiana (diário e textos de entretenimento: história em quadrinhos, tirinhas).

Literária (poema, narrativas de aventura, contos, canção).

 

4º Ano Jornalística (manchete, notícia, reportagem, charge, cartum, telejornal).

Divulgação científica (verbete de enciclopédia infantil, artigo de divulgação científica para crianças,

Notícia de popularização da ciência, relato de pesquisa).

Literária (“hai-kai”, poema concreto, literatura de cordel, canção).

 

5º Ano Publicitária (propaganda institucional e comercial, anúncio, panfleto, outdoor e slogan).

Cidadania (Estatuto e leis, debate, carta do leitor, carta de reclamação e de solicitação).

Literária (texto teatral, narrativa fantástica, lenda, conto maravilhoso e de terror).

 

Gêneros textuais e tipos textuais

  • Notícia: podemos perfeitamente identificar características narrativas, o fato ocorrido que se deu em um determinado momento e em um determinado lugar, envolvendo determinadas personagens. Características do lugar, bem como dos personagens envolvidos são, muitas vezes, minuciosamente descritos.
  • Reportagem: é um gênero textual jornalístico de caráter dissertativo-expositivo. A reportagem tem, por objetivo, informar e levar os fatos ao leitor de uma maneira clara, com linguagem direta.
  • Carta ao leitor: é um gênero do tipo dissertativo-argumentativo que possui uma linguagem mais pessoal e leve, em que se escreve aos leitores.
  • Propaganda: é um gênero textual dissertativo-expositivo onde há o intuito de propagar informações sobre algo, buscando sempre atingir e influenciar o leitor apresentando, na maioria das vezes, mensagens que despertam as emoções e a sensibilidade do mesmo.
  • Bula de remédio: é um gênero textual descritivo, dissertativo-expositivo e injuntivo que tem por obrigação fornecer as informações necessárias para o correto uso do medicamento.
  • Receita: é um gênero textual descritivo e injuntivo que tem por objetivo informar a fórmula para preparar tal comida, descrevendo os ingredientes e o preparo destes, além disso, com verbos no imperativo, dando o sentido de ordem, para que o leitor siga corretamente as instruções.
  • Editorial: é um gênero textual dissertativo-argumentativo que expressa o posicionamento da empresa sobre determinado assunto, sem a obrigação da presença da objetividade.
  • Tutorial: é um gênero injuntivo que consiste num guia que tem por finalidade explicar ao leitor, passo a passo e de maneira simplificada, como fazer algo.
  • Entrevista: é um gênero textual dialogal e dissertativo-expositivo que é representado pela conversação de duas ou mais pessoas, o entrevistador e o(s) entrevistado(s), para obter informações sobre ou do entrevistado ou de algum outro assunto.
  • História em quadrinhos: é um gênero narrativo que consiste em enredos contados em pequenos quadros através de diálogos diretos entre seus personagens, gerando uma espécie de conversação.
  • Charge: é um gênero textual narrativo onde se faz uma espécie de ilustração cômica, através de caricaturas, com o objetivo de realizar uma sátira, crítica ou comentário sobre algum acontecimento atual, em sua grande maioria.