Bonecos Étnicos

Bonecos Étnicos

Bonecos Afros
Boneco Afro na classe 

 

A boneca étnica negra e parda
O papel da boneca étnica, negra e parda, é de grande importância para a valorização da autoestima e do reconhecimento da identidade afro-brasileira das crianças, tanto na família e na sociedade quanto na escola. A criança negra ou parda deve ter “a sua boneca” como seu espelho, onde se reflete sua anatomia e suas características étnicas. Ela também deve ter bonecas de etnias diferentes da sua para aprender a amar e a conviver com as diferenças. Através da identificação étnica com a boneca, a criança pode fortalecer sua identidade, aprender a valorizar a si e aos seus semelhantes e reconhecer, para toda a vida, suas raízes, livre de preconceitos ou estereótipos. Para os educadores, a boneca étnica também é um importante instrumento de vivência em sala de aula. As várias etnias reunidas no brincar pedagógico em sala de aula têm o poder de promover a interação social, a tolerância e o respeito pelas diferenças. Crianças que, no brincar livre, têm a oportunidade de aprender a conviver com a diversidade social tornam-se adultos mais preparados para a vida em sociedade.

 

Um  trabalho muito bom para quebrar a barreira do preconceito racial é trabalhar com bonecos afros na sala de aula.

Esse trabalho é desenvolvido da seguinte forma:

·         Primeiro confecciona-se um boneco afro com a turma ou compre-se um. Existem bonecos de pano afros muito bonitos para comprar.

·         Junto com a turma escolher uma nacionalidade africana e um nome típico desse país para o boneco.

·         Usar um caderno de capa dura universitário para servir de diário do boneco, colocar no caderno o nome do boneco,nacionalidade, turma e professora.

·         Cada dia da semana um aluno leva o boneco para casa juntamente com o caderno e um livro infantil que aborde o tema África. Deve-se combinar com a classe a forma de sorteio do boneco.

·         A criança leva o boneco e terá que escrever no caderno um relato de como foi esse dia em casa com o boneco.

·         Pedir para a criança ler o livro antes de dormir ao boneco.

·         No dia seguinte a professora recolhe o boneco e o caderno e lê o relato da criança para a classe, nesse momento deve-se trabalhar o gênero textual: relato.

·         Sorteia-se novamente o boneco.

Espera-se com esse trabalho valorizar as diferenças raciais. Fazer com que as crianças afro -brasileiras se identifiquem com o boneco, sentindo-se valorizadas e as crianças brancas respeitem as diferenças raciais.

 

Alguns relatos de alunos sobre os bonecos afros:

 

Luiz 4ª série.

“Quando cheguei na minha escola encontrei meus amigos e comecei a conversar, quando bateu o sinal subimos no palco e cantamos a música do Lobisomem.”

“Entramos na sala e a professora leu os relatos dos bonecos, depois ela fez o sorteio e o Akin ficou comigo, fizemos atividades de Matemática e atividades de Ciências, bateu o sinal e fomos embora.”

“Quando cheguei em casa todos viram o Akin de novo, fomos almoçar e assistir TV. Logo após fomos ao shopping, voltei as 18:00 h e teve a festa de aniversário da minha bisavó. Quando acabou a festa fui para o meu quarto e li o livro para o Akin: “Os caçadores de mel”, dormimos.

“Foi muito legal ficar com o Akin, pena que foi só um dia.”

 

 

Tamires 4ª série:

 

“Quando chegue na escola os meninos tinham subido no palco para cantar a música do Lobisomem.

Entramos na sala e a professora sorteou os bonecos e saiu o nº 30, fui buscar.

No recreio eu brinquei com as minhas amigas, quando fui embora dei tchau para elas.

Chegando em casa minha mãe falou:

- A Kiara de novo!

- Sim, mãe.

Quando minha irmã chegou, ela ficou muito feliz de ver a Kiara de novo.

Eu, a minha irmã e a Kiara assistimos Avatar, quando fui tomar banho, a Kiara ficou assistindo a nova temporada do “Jonas”.

Depois do banho fui brincar com a Kiara, fomos ao parque, voltamos as 16:32 h.

Eu e a Kiara fomos brincar com minha cachorrinha que se chama Nina.

Antes de dormir li a história para a Kiara: Krokô e a Galinhola”.

Beijos Kiara, obrigada pela sua presença!

 

A sala possui dois bonecos: a Kiara e o Akin, as meninas levam a boneca e os meninos o boneco.

Todo dia é lido o relatório que volta com as crianças.

bobo